Anatomia de um ataque de ansiedade

Ataques de ansiedade são reações corporais normais – mecanismos de enfrentamento – contra diferentes estressores e aflições angustiantes. Em outras palavras, estas são reações químicas, físicas e emocionais que são provocadas pelo medo, apreensão ou choque. Essas reações também causam uma resposta de “luta ou fuga”. Com base em estudos científicos, as pessoas reagem automaticamente a atividades de estresse ou indutoras de estresse, seja assumindo uma postura de confronto ou tomando a decisão de evitar o estresse.

A pressão pode vir de um problema emocional em um relacionamento em casa, exigindo tarefas e prazos no escritório, o medo de um próximo teste ou o clamor por uma performance vitoriosa em um jogo de campeonato. Todos estes produtos podem causar angústia constante e até mesmo ataques de ansiedade se a pessoa não for capaz de lidar eficazmente com o estresse. Uma pessoa que está passando por um ataque de ansiedade muitas vezes experimenta uma sensação de dormência ou formigamento, falta de ar, tonturas, palpitações elevadas, sudorese crônica, calafrios, afrontamentos e náuseas.

Níveis extremos de ansiedade podem produzir sérios efeitos negativos na saúde física e mental. As ansiedades podem, na verdade, prejudicar ou afetar negativamente as atividades do dia-a-dia de uma pessoa. Além da possibilidade de deixar uma pessoa emocionalmente deprimida e fisicamente fraca, a ansiedade também pode levar a pessoa a perder a capacidade de tomar uma decisão racional. Não é incomum ouvir casos de pessoas com ansiedade severa que perderam seus empregos e falharam em seus relacionamentos. Para essas pessoas que se tornaram vítimas de ataques de ansiedade, a vida tornou-se uma mera questão de sobrevivência – desprovida de felicidade, realização e saúde.

Algumas pessoas podem lidar com depressão e ansiedade. Mas para um número significativo de pessoas que não têm a capacidade de lidar com o estresse e a ansiedade, o único meio de recuperar a vida é fazer terapia e, se necessário, tomar remédios para ansiedade. Esses medicamentos para ansiedade, quando acompanhados por terapia conduzida por profissionais, oferecem alívio e, possivelmente, proteção permanente contra os efeitos debilitantes do estresse e do estresse emocional grave. Medicamentos de ansiedade muitas vezes variam na dosagem e efeitos desejados. No entanto, o que é comum entre esses medicamentos anti-ansiedade é a capacidade dessas drogas para suprimir surtos químicos e emocionais desnecessários. O controle desses impulsos químicos e emocionais permite que uma pessoa com ansiedade recupere uma sensação de paz e tranquilidade.

Ansiedade medicamentos, também conhecidos como ansiolíticos, são prescritos para tratar os diferentes sintomas de ansiedade. Por exemplo, as Bensodiazepinas são prescritas para tratar os efeitos de curto prazo e incapacitantes da ansiedade. Essas drogas são efetivadas no sistema nervoso central de uma pessoa, razão pela qual um certo grau de sedação ocorre em um paciente que usa a medicação.
Não-bensodiazepínicos, no entanto, são usados ​​para controlar o nível de serotonina no corpo. A serotonina é essencial ao organismo para regular a raiva, a temperatura, o humor, o sono, o vômito, a sexualidade e o apetite. Embora sejam comprovadamente menos eficazes que os bensodiazepínicos, o efeito regulador da serotonina desse tipo de medicamento ansiolítico também ajuda a pessoa a alcançar um estado relaxado.

Enquanto esses medicamentos oferecem alívio, as pessoas ainda devem praticar um pouco de cautela antes de tomar esses medicamentos ansiolíticos. Essas drogas não podem remover totalmente todos os sintomas de ansiedade. Naturalmente, esses medicamentos não podem resolver um problema emocional ou psicológico que é, na verdade, a origem ou fonte dos ataques de ansiedade de uma pessoa.


Consultoria SEO para Psicólogos